Notícias IAP / Notícias
14/06/2019

IAP reúne grandes nomes do mundo jurídico em comemoração aos seus 102 anos

O Instituto dos Advogados do Paraná celebrou ontem seu 102º aniversário com um jantar no Graciosa Country Club. O presidente Tarcísio Kroetz, falando em nome de toda a diretoria, agradeceu as palavras de homenagem proferidas momentos antes pelo presidente da OAB Paraná, Cássio Telles e saudou todos os presentes. “A história do Instituto é também a história da advocacia paranaense. Ele foi fundado no início do século 20, cerca de 50 apenas a emancipação política do estado, no seio do movimento paranista, que acreditava ser necessário conferir ao estado uma identidade regional associada ao desenvolvimento. Curitiba então deslumbrava-se com a ampliação da rede ferroviária, com a iluminação elétrica, com o cinema e com o surgimento dos jornais. A atmosfera de valorização dos ideais paranaenses fez germinar a ideia da criação de um instituto de advogados, para que se organizassem como grupo coeso que tinha a mensagem a comunicar. Esses ideais ainda nos movem”, afirmou.

Kroetz lembrou também que no contexto de constante evolução o instituto passou forte e impávido pelo progresso e pelas mudanças que têm ocorrido em velocidade cada vez mais intensa. “Poucas instituições conseguiram essa proeza e o nosso segredo é que somos uma instituição de duas caras, no bom sentido. De um lado, olhamos para o quadro de associados sempre buscando formar um ambiente de apoio, de troca de ideias, de solidariedade responsável. De outro, olhamos para a comunidade, transmitindo a todos uma posição de classe, de cultura jurídica calcada em um conjunto de valores e opiniões independentes e ousados. Aí está a fonte da trajetória longeva que comemoramos”, descreveu.

O presidente do IAP também anunciou o lançamento do Projeto Memória, que reúne depoimentos em vídeo de ex-presidentes de diversas gestões e que está disponível tanto na biblioteca do IAP quanto no canal do instituto no Youtube. “Logo mais, aliás, prestaremos nossa homenagem a um dos ícones da advocacia paranaense, nosso presidente Professor Egas Moniz de Aragão”, mencionou, em referência ao advogado falecido no início deste mês.

Em seu discurso, Cássio Telles citou o fundador do IAP, João Pamphilo d´Asumpção e citou os laços de origem entre a OAB e o instituto. “Em toda a história a OAB Paraná, grata à entidade que lhe antecedeu, foi parceira do IAP. Não é por acaso que seu presidente tem assento permanente na mesa diretora das sessões do Conselho Pleno da Ordem”, destacou.

Telles também mencionou o professor Egas, qualificando-o como “exemplo para toda a advocacia” e foi aplaudido ao mencionar a importância da transparência na vida pública e do combate à corrupção, mas sempre com base nos princípios que norteiam a democracia, dentre os quais destacou a ampla defesa, o contraditório e o devido processo legal.

A celebração dos 102 anos contou ainda com ex-presidentes, dentre os quais Alfredo de Assis Gonçalves Neto, o decano da noite encarregado de fazer uma breve oração em homenagem ao Professor Egas. Estiveram também presentes os presidentes dos Institutos do Amapá, da Bahia, de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina, todos eles capitaneados por Hélio Gomes Coelho Júnior, ex-presidente do IAP e atual presidente do Colégio de Presidentes dos Institutos de Advogados do Brasil.

Os desembargadores Telmo Cherem e Arnor Lima Neto representaram, respectivamente, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná e o Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região. Também estiveram presentes à celebração o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Gilberto Ferreira, integrantes do Ministério Público, docentes da comunidade acadêmica, associações de classes e representantes dos patrocinadores e a apoiadores da festa, dentre os quais o Graciosa Country Club, a Audi Center Curitiba e a Praisce/XP Investimentos. “Esperamos ser tão longevos quanto o IAP. Somos uma empresa com visão de longo prazo que preza pelo respeito ao cliente e pela cultura da inovação”, afirmou Rui Hauer, sócio da Praisce, a mais antiga representante da XP Investimentos no Paraná.

Em seu discurso, o Hélio Gomes Coelho Júnior destacou os fins estatutários do instituto: o estudo do direito, a defesa da classe dos advogados, a promoção da cultura jurídica e criticar os problemas dos tribunais. “Assim se criou o instituto em 1917: discutindo, representando e criticando. Passado um século e dois anos, vemos que essa fisionomia mantém nítidos os traços idealizados por João Pamphilo d´Assumpção e seus 17 companheiros de fundação. Discutir, representar e criticar sempre. Cabe aos institutos dos advogados e ao Colégio que tenho a honra de conduzir a árdua tarefa de fazer a intransigente defesa da dignidade do prestígio e dos interesses da boa Justiça e dos retos advogados, promotores ou procuradores. E o que é Justiça boa? Nós advogados podemos defini-la sem pejo: a imparcial, equidistante, sóbria e discreta. Se ela não for assim, nós, advogados, não nos aquietaremos, independentemente do pretexto. Viva o IAP e sua tarefa estatutária”, disse, sob aplausos.

Alfredo de Assis Gonçalves Neto, em sua oração em homenagem a Egas Dirceu Moniz de Aragão, lembrou ter seu sido seu aluno. “Egas Dirceu Moniz de Aragão, nome de nossa turma na Universidade Federal do Paraná, foi um professor que orientou meus estudos com suas aulas de Direito Processual Civil e que tomei como exemplo no magistério e na advocacia. É essa a visão que tenho. Ele é o profissional da advocacia que tento imitar. É o professor que eu gostaria de ser. E é a lembrança que tenho de inúmeros episódios que me comoveram”, destacou. Gonçalves Neto também citou a trajetória profissional e as inúmeras homenagens dedicadas ao Professor Egas ao longo de sua vida.

A homenagem ao advogado que presidiu o IAP de 1963 a 1965 completou-se com seu depoimento em vídeo para o Projeto Memória. O depoimento de 11 minutos foi acompanhado com atenção. O silêncio só foi rompido pelas risadas provocadas pela fala franca e direta do professor. Convidada para a solenidade, sua esposa, Isabel, recebeu flores e declarou: “Esse carinho com a memória dele é um alento para a família”, disse ela.

A parte solene das festividades encerrou-se com o anúncio feito pelo secretário-geral do IAP, Guilherme Brenner Lucchesi, de que será realizada este ano a quarta edição do Prêmio Francisco Cunha Pereira Filho de liberdade de expressão e com a entrega de certificados a sete novos associados do IAP:  Adroaldo Agner Rosa Neto, Camila Grubert, Flávio Zanetti de Oliveira, Luiz Gustavo Pujol, Maria Cecília Sanches Soares Vannucchi, Maria Izabel de Macedo Vialle e Patrícia Casillo.

Compartilhe:

VOLTAR

RELACIONAMENTO

Fique por dentro do que acontece no Instituto!