Notícias IAP / Notícias
03/09/2021

Jurista René Dotti, falecido este ano, é homenageado pelo Instituto dos Advogados do Paraná

Medalha Pamphilo D’assumpção, maior honraria da entidade, foi entregue à sua filha, Rogéria Dotti, em noite que também teve premiação para trabalhos sobre Liberdade de Imprensa

O jurista René Ariel Dotti, falecido este ano, em 11 de fevereiro, aos 86 anos, foi lembrado e homenageado na última sexta-feira (27/08) pelo Instituto dos Advogados do Paraná (IAP). Dotti foi agraciado, pela gestão 2020 do Instituto, com a medalha Pamphilo D’assumpção, maior honraria da entidade, mas não pode receber em vida por conta da epidemia de covid-19. Desta forma, a medalha foi entregue à sua filha, ex-presidente do IAP-PR, a advogada Rogéria Dotti.

A cerimônia foi marcada por muitas emoções. Diversos colegas e ex-alunos do também professor René Dotti enalteceram suas características profissionais e pessoais. Histórias de vida foram lembradas e frases memoráveis destacadas.

“A advocacia tem suas regras que, como todas as regras da arte, não são absolutas, mas, ao contrário, ficam confiadas à inesgotável aptidão criadora do. homem. O advogado foi feito para o direito, não o oposto”, afirmava Dotti, amante das artes e, principalmente, do teatro. Ele também foi ator e escritor de peças, tendo sido o primeiro advogado paranaense a produzir um júri simulado, prática hoje comum nas faculdades de Direito para colocar os estudantes em um ambiente de aprendizado mais realista.

O atual presidente do IAP, Dr. Tarcísio Araújo Kroetz, destacou a admiração que todos tinham por René Dotti, um profissional que se colocou ao lado de importantes discussões na sociedade. “A trajetória de René Dotti é, por sí só, uma obra de arte. Apreciar sua atuação, seus estudos, pareceres e posicionamentos é um exemplo para qualquer advogado. Em 2020, o conselho deliberou que o professor fosse agraciado com a medalha Pamphilo D’assumpção, a maior honraria do nosso centenário instituto. Quando comunicado, ele expressou grande alegria. Infelizmente a entrega da medalha é póstuma, mas abre a oportunidade para festejarmos sua laureável memória”, destaca.

A filha, Rogéria Dotti, recebeu a medalha pelo pai e afirmou que ele era plenamente feliz porque fazia o que mais gostava. “Deixou-nos um legado imenso de solidariedade e coragem. Em nome de nossa família, minha mãe Rosarita, irmã Claudia, Marlus, e dos netos, agradeço ao Instituto dos Advogados do Paraná, em especial ao presidente e querido amigo Tarcísio Kroetz, à sua diretoria e ao seu conselho. O reconhecimento dos próprios colegas de profissão tem uma importância enorme para nós, maior do que se pode imaginar. Meu pai teve uma vida plena e foi muito feliz. E desde 11 de fevereiro deste ano ele passou a viver em nós”.

Os colegas Dr. Carlos Eduardo Pianowski, juntamente com a diretora do Teatro Guaíra, Mônica Richbiter; Dr. Miguel Reale Jr.; a desembargadora do Tribunal de Justiça do Paraná, Regina Helena Portes; Dr. Renato Andrade; Dr. Francisco Zardo; Dr. Eduardo Virmond; Dr., Eduardo Cambi; Dr. Cássio Telles e Dr. Sergio Staut, diretor do Setor de Ciências Jurídicas da UFPR, também discursaram em homenagem ao jurista.

Prêmio Francisco Cunha Pereira Filho

Na segunda parte da solenidade, o IAP premiou trabalhos que abordaram o tema deste ano “Fake News: os desafios à liberdade de imprensa”, dentro do Prêmio Francisco Cunha Pereira Filho.

A monografia “Desafios para o combate das fake News e a defesa dos direitos e das liberdades”, escrita pelo estudante Juan Amaral Rocha foi o melhor trabalho estudantil eleito pela comissão avaliadora.

Receberam menções honrosas os artigos do Dr. Luiz Lara Rodrigues e do Dr., Guilherme Borba Vianna.

A grande premiada da noite foi a advogada Sabrina Maria Fadel Becue, com o trabalho “Fake News: engajamento cívico na defesa da liberdade de imprensa”. “Muito já foi dito sobre liberdade, sobre educação, sobre pedagogia, e essas foram as tônicas do meu artigo. Além de toda a premiação e eu ter sido agraciada entre tantos trabalhos de excelência, receber em uma noite como essa foi inesquecível.”

O evento foi encerrado com mais uma frase forte do advogado René Dotti: “quero ser lembrado como advogado. A primeira coisa que eu penso é na advocacia. É o meu trabalho. A experiência política foi fugaz. O que me anima é o Direito. Ser advogado é a minha vida”.

Compartilhe:

VOLTAR

RELACIONAMENTO

Fique por dentro do que acontece no Instituto!